Contabilidade

Empréstimo, Mútuo... ? Aumente o seu ativo!

Encargos Financeiros oriundos de títulos de dívida podem ser alocados no custo da obra (CPC20):

Durante o processo de formação de Estoque de longa maturação (Ex: Prédio, Ponte), propriedade para investimento (Prédio para aluguel valorização ou sem uso definido) e/ou ativo intangível (construção em concessões) a entidade poderá aumentar o valor do seu ativo com os encargos financeiros oriundos de títulos de dívida, como Debentures, Empréstimos, Mútuos etc.

As Receitas Financeiras relativas à aplicação temporária destas dívidas são alocadas (-) nos ativos e tributados somente na realização incluindo  depreciação, amortização, exaustão, alienação ou baixa.

Na luz da lei 12.973/14:

À opção da pessoa jurídica, os referidos juros ou encargos podem ser excluídos na apuração do lucro real e presumido e da base de cálculo da CSLL no período de apuração em que forem incorridos. Nessa hipótese, a parcela da despesa relativa à realização do ativo que corresponder aos juros ou encargos capitalizados na contabilidade deverá ser adicionada às bases tributáveis nos períodos de apuração em que houver o registro da respectiva depreciação, amortização, exaustão, alienação ou baixa.